.

.

27 de fevereiro de 2013

... não poderiam deixar de dar as mãos.

Vi no facebook e neste blogue. Não serão precisas palavras.

"Nos anos 70, Marina Abramovic viveu uma intensa história de amor com Ulay. Durante 5 anos viveram num furgão realizando todo tipo de performances. Quando sentiram que a relação já não valia aos dois, decidiram percorrer a Grande Muralha da China; cada um começou a caminhar de um lado, para se encontrarem no meio, dar um último grande abraço um no outro, e nunca mais se ver. 23 anos depois, em 2010, quando Marina já era uma artista consagrada, o MoMa de Nova Iorque dedicou uma retrospectiva a sua obra. Nessa retrospectiva, Marina compartilhava um minuto de silêncio com cada estranho que sentasse à sua frente. Ulay chegou sem que ela soubesse... e foi assim."- Maeve Jinkings

2 comentários:

vitordalmeida disse...

emocionante

Pimpas disse...

Papá: muito comovente não está?